Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Drama Queen

Drama queen e já que se fala tanto de Cancro da Mama

Vou dedicar este post uma pessoa que foi mais que Guerreira que infelizmente foi vencida pelo Cancro da Mama. Sou sincera desde que a Actriz Sofia Ribeiro deu essa noticia não parei de pensar em ti.

 

Odeio cortar o cabelo, tenho trauma de infância cada vez que ia ao cabeleireiro e cortavam o cabelo pelos ombros e ficar muito giro na hora ao lavar ficar pelas orelhas ou sair com cortes de velha, sim quem tem cabelo encaracolado tem esses dramas. 

Lembro perfeitamente como se fosse hoje o dia que conheci-te, foi uma amiga nossa que nos apresentou que também tem o cabelo parecido com meu. Eu sei o que pensei desta vez vai ser diferente olho para o cabelo dela era assim que gostava de ter, não uma versão ranhosa do Micheal Jackson. Nesse dia tornaste minha amiga uma daquelas mesmo de verdade.

Lembro de entrar no teu salão e dizer que queria um café decente e se podia ir fumar um cigarro, onde tu tinhas sempre um sorriso uma novidade boa ou feliz para contar. De contar os meus pequenos dramas e ouvir teus problemas reais. De teres tornado na nossa cabeleireira oficial do nosso grupo dos babys de acolheres a todas como se fossemos da tua família, nunca falavas da vida dos outros, nem das confidencias de nenhum de nós. E de apresentares-me todos os teus bichos que foram muitos nos anos que nos conhecemos, foram 14 anos.

Fazer planos de penteares-me no dia do meu casamento deixares-me fumar enquanto me penteavas nesse dia, ofereceres um termo de chá de Camomila nesse dia. Tudo porque uma baby foi casar ao Norte e tivemos de arranjar uma que não entedia nada do assunto (imaginem pedir o cabelo com franja subida,tipo Legolas Sr. dos Aneis e sair de lá tipo Armish, pediu-se uma pausa choramos porque faltavas tu porque tinhas sempre uma solução para o nosso cabelo).

Lembro-me de chegar e sentar-me de sentar na tua cadeira e dizer é para cortar e tu perguntares era para cortar as pontas, eu disse que era pelos ombros porque já não sabia o que fazer com ele caia aos cachos, lembro do teu sorriso de felicidade porque a muito tempo que querias por-me o cabelo curto. Lembro de gozares comigo que eu era uma exagerada mas depois do molhares e tentar pentear abraçaste-me e disseste que esperavas que minha depressão severa (andava mesmo muito stressada nessa altura, mas não era depressão) passa-se rápido e que nunca mais podia ter o cabelo como usava porque estava a cair muito, para tentar fortalecer e regenerasse o cabelo.

Sempre adorei a tua frontalidade menos num dia em que eu, minha melhor amiga pedimos para seres tu a pentear no dia do seu casamento e mim como dama de honor, foi nesse dia que reuni toda minha coragem e não chorei a tua frente disseste que ias a tempo estavas numa fase inicial para tranquilizar e que não podias apesar de faltar mais de um ano para data do casamento, não conseguias estar curada nessa altura porque era CANCRO da MAMA. Eu conheço as estatísticas apesar de não quer pensar nisso, eu vejo todos os dias os feitos do cancro em pessoas idosas que vais matando lentamente todos os anos um pouquinho, mas sei que com a tua idade podia ser galopante, podias reagir mal ao tratamento do cancro sabia que milhares de passos que ias dar para cura apesar de não ter ninguém que tenha tido cancro na minha família. Lembro da esperança que tinhas nos teus olhos, mas nunca me vou esquecer da tuas palavras "Dei como garantido tudo na minha vida e agora estou a pagar pela minha arrogância":

Não merecias nada do que aconteceu porque merecias ser feliz porque passaste por tanto. Sinto a tua falta...

 

 

Pág. 3/3