Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Drama Queen

Diferenças

Como já disse fui trabalhar no Verão num restaurante. 

Aprendi várias coisas uma as pessoas não sabem o que estão comer.

Chega um casal e o serviço tinha abrandado (22.00) a minha colega pediu-me para trocamos para poder ligar a ex-sogra porque tinha filha doente.

O Sr. diz-me logo que quer peixe que era um entendido em peixe se não fosse fresco ele notava logo mas como era tarde queria um peixe pequeno, aconselhei uma Dourada de mar claro que não disse se era de mar ou de aquacultura por o sr era entendido essas coisas não falham a pessoas que apreciam peixe fresco de mar. O meu Patrão estava a jantar na mesa ao lado disse para eu levar um DOURADA DE MAR. Lá mostrei a Dona Dourada de Mar ao sr. entendido na coisa do peixum...

Ao servir o Sr. muito entedido em peixe começou a recalmar que aquilo era de aquacultura não era de mar. Eu expliquei que uma Dourada de mar é mais cara do que a de aquacultura, as Douradas de mar são muito mais pequenas,  muito mais secas porque não comem ração para elas engordarem ficarem grandes, as Douradas de Mar sabem a peixe as outras sabem àgua podre, mas podia-lhe ter dado uma de aquacultura que ele nem notava diferença...

Proximo episódio vai ser sobre Masterchef

A lei dos Animais

Sobre a nova lei que saiu sobre os animais poderem frequentar os restaurantes, tenho algumas sobre como vai funcionar tal coisa, nem é os animais que me preocupa são os donos.

Eu contei num blog uma situação que se passou comigo, mas os únicos animais que existiam tinham 2 pernas.

 

Eu trabalhei no Verão num Restaurante no Algarve mesmo ao pé da minha casa. Era uma espécie de empregada de mesa só leva a comida da cozinha a mesa, até porque nunca gostei deste tipo de trabalho mas pagavam tão bem que nem resisti.

Uma noite bem movimentada podia nem ser Agosto porque não há noites calmas naquele Restaurante mas até era mesmo Agosto com pessoas a esperar uma hora para se sentar, mais uma para comer. Ao desfilar com comida nos braços (3 pratos grandes de restaurante) senti o meu sapato empurrar uma coisa não identificada mas assim a primeira vista parecia-me um bocado de carne que saltou de algum prato ou alguma criança que atirou a chicha ao chão em tom de birra. Pelo torça da mesa ao lado percebi que a criatura (criança com 5 anos) tinha defecado no chão, o cheiro também o tornava evidente aquele pedaço podia ser carne mas um cóco. O educador da criança com toda coragem mandou-me limpar, eu para não mandar para algum sitio menos proprio chamei o meu Patrão e disse indiganada que se ele quises-se limpo que limpasse ele, porque eu sabia utilizar a casa de banho. Claro que o patrão cobrou-lhe como se tivessem comido e mandou embora porque ali só comiam pessoas os animais tinham de ficar lá fora.

 

Se os pais não sabem domesticar as sua crianças selvagens imaginem um animal estar civilizado num restaurante